A suplementação nutricional de
pacientes em reabilitação



Sabemos que após um quadro de sepse, o indivíduo desenvolve alterações multissistêmicas como: cardiovasculares, motoras, respiratórias e psicológicas. Essas alterações podem trazer limitações das suas atividades de vida diária, dificultando processos como: deglutição, mastigação, digestão, inclusive afetando atividades do dia a dia como tomar banho, alimentar-se, vestir-se, mobilizar-se na cama, caminhar ou se levantar.

Além dessas limitações, o indivíduo pode apresentar dificuldade na ingestão de alimentos e, com isso, desenvolver o que chamamos de balanço negativo de calorias e proteínas levando a perda de peso e perda de massa muscular que, na grande maioria das vezes, confere um quadro de fraqueza generalizada. Para reabilitar-se dessa fraqueza, será necessário ajustar a oferta nutricional aos estímulos realizados pelos reabilitadores.

Os fonoaudiólogos podem reabilitar os aspectos da linguagem e da alimentação. A programação dos exercícios buscando a reabilitação das funções motoras e respiratórias ficará aos cuidados da fisioterapia. Os terapeutas ocupacionais podem ajudar na manipulação de utensílios como talheres, mouses, escova de dentes etc. São diversos os profissionais que atuam na reabilitação do paciente. O nutricionista também tem seu papel na recuperação do paciente pós-sepse.

Quando nós pensamos em alimentação, pensamos no primeiro princípio alimentar que é o prazer. Temos a capacidade de escolha da nossa alimentação e ela, na maioria das vezes, está baseada na cultura, nos hábitos, no poder de aquisição e preparo dos alimentos.

O Brasil é um dos países com maior regionalidade alimentar. De maneira geral, mantemos um padrão de alimentação parecido, com o consumo de frutas da época, verduras e legumes, além da ingestão de alimentos fontes de caloria e proteína, como o trivial: arroz com feijão.

Após um longo período de internação é comum que os indivíduos apresentem redução do apetite e dificuldade em retomar os seus hábitos em relação à qualidade e quantidade dos alimentos. Para esses casos se recomenda o uso de suplementos nutricionais.

A terapia nutricional oral é uma prática antiga, acessível e segura, realizada com prescrição de produtos industrializados parcialmente ou totalmente completos em nutrientes, vitaminas e minerais. Não podemos deixar de lembrar que o planejamento das refeições, fracionamento e escolha dos alimentos deve vir antes da utilização de produtos com finalidades nutricionais. Os suplementos devem ser prescritos para complementar a alimentação habitual.

O acesso a esses produtos com controle dos nutrientes facilitou a prática clínica, permitindo individualização do tratamento. Contamos com produtos específicos para cicatrização da pele (por escaras/úlceras por pressão ou feridas), diabetes, problemas hepáticos entre outros. O objetivo da suplementação nutricional é ofertar as necessidades aos indivíduos que não atingem as mesmas através da alimentação convencional.

Para a prescrição da suplementação devemos calcular as necessidades individuais versus o valor ingerido pelo paciente. O nutricionista faz o cálculo da ingestão atual e, através desse cálculo, é possível estimar numericamente a necessidade dos nutrientes. Os suplementos necessários prescritos podem ser acrescidos na alimentação, garantindo o processo da reabilitação. Esta suplementação é possível tanto para pacientes que mastigam e deglutem (engolem) os alimentos normalmente, como para os pacientes com dificuldade de mastigação ou deglutição (conhecido como disfagia). Atualmente é possível encontrar produtos industrializados em pó, produtos líquidos, produtos apenas para aumento de caloria, produtos apenas proteicos, para aporte calórico e proteico.

Desta forma, é fundamental fazer a avaliação do estado nutricional após a alta para que o nutricionista faça a prescrição de suplementos garantindo a oferta adequada e facilitando o processo da reabilitação. Há estudos que demonstram que os pacientes não têm a mesma recuperação quando estão subnutridos, emagrecidos ou enfraquecidos. Os suplementos nutricionais prescritos pelo nutricionista ou pelo médico irão garantir a sustentação energética ao indivíduo, auxiliando no processo de reabilitação após a internação prolongada.

Concluindo, o planejamento alimentar é parte integrante das orientações fornecidas no momento da alta hospitalar, para auxiliar no processo reabilitação, incluindo desde o ajuste da consistência e quantidade alimentar até a prescrição de suplementos e acompanhamento do estado nutricional.


Download PDF
Patrícia Stanich
CRN 5195

Patrícia Stanich

Nutricionista clínica das Unidades de Terapia intensiva do Departamento de Anestesiologia da UNIFESP.
Preceptora da Residência Multiprofissional em Cuidados Intensivos do Adulto – UNIFESP
Doutora em Neurociências pela UNIFESP

Copyright © Reabilita Sepse 2022